39.jpg
Quarta, 01 Janeiro 2014 11:55

2014 - Poder, fé e devoção. São Jorge Guerreiro

Escrito por
Avalie este item
(0 votos)


1º Setor: JORGE DA CAPADÓCIA E A VIDA DE JORGE SOLDADO

Jorge, nascido na Capadócia, atual Turquia, filho de cristãos, foi educado para lutar sempre contra o mal. Adolescente, entrou para a carreira das armas, por ser a que mais satisfazia à sua natural índole combativa, e, logo foi promovido a capitão do exército romano, graças á sua dedicação e habilidade. Tais qualidades levaram o imperador a lhe conferir o título de Conde da Capadócia, e Jorge passou a residir na corte imperial e a exercer a função de Tribuno Militar. Então, o Imperador publicou um édito que mandava prender todo soldado romano cristão que não reverenciavam aos deuses romanos. Jorge, que sempre se declarou cristão, manteve-se fiel ao cristianismo. Torturado de vários modos, seu martírio aos poucos foi ganhando notoriedade; a cada vitória sobre as torturas, Jorge ia convertendo mais e mais soldados. O imperador, contrariado, chamou um mago para acabar com a força de Jorge. O santo tomou duas poções e, mesmo assim, manteve-se firme e vivo. O feiticeiro juntou-se à lista dos convertidos, assim como a própria esposa do imperador. Estas duas últimas “traições” levaram Diocleciano a mandar degolar o ex-soldado em 23 de abril de 303 d.C..

2º Setor: PADROEIRO

São Jorge é venerado desde o século IV e recebeu o honroso título de “Grande Mártir”. A devoção a Jorge rapidamente tornou-se popular e seu culto se espalhou pelo mundo, durante a Idade Média. Conhecido como verdadeiro guerreiro da fé, durante as Cruzadas, começou a ser cultuado como santo, que segundo a lenda, venceu satanás em terríveis batalhas. Iconograficamente, São Jorge é representado como um jovem imberbe, de armadura, tanto em pé como em um cavalo branco com uma cruz vermelha. A imagem conhecida, do cavaleiro que luta contra o dragão, foi difundida a partir de um mito surgido em romances de cavalaria. Está relacionada às diversas lendas criadas a seu respeito e contada de várias maneiras.

Os ingleses acabaram por adotar São Jorge como padroeiro do país, assim como vários Lugares pelo Mundo, como, a Catalunha, Moscou e Portugal; já na África São Jorge é considerado padroeiro da agricultura.

A devoção brasileira à São Jorge deve-se à colonização portuguesa, assim como o sincretismo nas religiões de matriz africana. No Brasil, podemos destacar:

- É patrono dos Escoteiros, Bicheiros, Soldados, Policiais, Bombeiros, Armeiros, Cavaleiros, Seguranças e Serralheiros;

- É o Santo Padroeiro do Corinthians, acredita-se que sua história de devoção e fidelidade à verdade Cristã até o fim de seu martírio seja a origem do termo “Fiel”, popular entre os torcedores corintianos;

- É Padroeiro de várias escolas de sambas pelo Brasil com destaque para União da Ilha do Governador, Beija-flor de Nilópolis, Império Serrano, Imperatriz Leopoldinense, Porto da Pedra e Grande Rio, todas no Rio de Janeiro. E Gaviões da Fiel entre outras em São Paulo.

- Na astrologia São Jorge representa Marte e o signo de Áries.

3º Setor: SINCRETISMO RELIGIOSO

A força do venerado Guerreiro só explodiu no país a partir do sincretismo religioso com os cultos afro-brasileiros. Trazendo festas e tradições em vários pontos de regiões brasileiras.
Forçados a professar a fé cristã, os africanos trouxeram, suas crenças, suas divindades, suas lembranças…O único caminho para que pudessem cultuar seus orixás era disfarçá-lo como um culto a santos católicos.
A igreja católica naquela época, dizia que os orixás não passavam de demônios. Por isso o sincretismo religioso com os santos da igreja católica, pois os negros escravos eram obrigados a se converterem ao catolicismo, muitas vezes até mesmo no tronco, dizendo-se ser uma espécie de exorcismo. Quando os escravos se passavam por convertidos eles comparavam a história ou a lenda de um santo católico, e também o que cada um representava, com os santos africanos. Então São Jorge é associado a Ogum, orixá do ferro e das estradas.
NÚMERO: 07 e seus múltiplos.
Ogum é único, mas, em Irê, diz-se que ele é composto de sete partes. O número sete é associado à Ogum e ele; é representado nos lugares que lhe são consagrados, por instrumentos de ferro, em número de sete, catorze ou vinte e um….
Ele tem um molho de sete instrumentos de ferro: alavanca, machado, pá, enxada, picareta, espada e faca, com as quais ajuda o homem a vencer a natureza.
Agrado: oferecem-se as comidas da sua preferência: feijoada, inhame e xinxim acompanhados da sua bebida predileta: cerveja.

4º Setor: MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS E CULTURAIS

A popularidade de São Jorge é incontestável quando analisamos as diferentes linguagens artísticas:

Cantos (músicas), como: Jorge de Capadócia de Jorge Ben, interpretada também por Caetano Veloso, Fernanda Abreu e pelos Racionais MC’s. “Alma de guerreiro”, de Seu Jorge, São Jorge é citado. A música é tema de abertura da telenovela Salve Jorge. Lua de São Jorge interpretada por Caetano Veloso, Líder dos Templários de Jorge Vercillo, “Medalha de São Jorge”, que foi gravada pela Cantora Maria Bethânia, saudação a Ogum de Leci Brandão e Zeca Pagodinho com as musicas vou ascender velas para São Jorge e “ Ogum” outro sucesso de vendas..

Quadros, imagens (pinturas como em Paris, no Museu do Louvre, com um quadro famoso de Rafael (1483-1520), intitulado “São Jorge vencedor do Dragão”. Na Itália, existem diversos quadros célebres, como um de autoria de Donatello. A imagem brasileira de São Jorge seria, possivelmente, de autoria de Martinelli.

Contos (Livros, filmes, peças teatrais e novelas), existe um Livro sobre São Jorge criado pelo escritor italiano Tito Casini chamado “ Perseguidores e Mártires “, outro destaque é o Filme uma festa para Jorge da cineasta Isabel Joffily e Rita Toledo , no

Teatro foi através do ator Jorge Fernando com a peça “Salve Jorge” que o santo guerreiro foi citado e por fim, a novela “Salve Jorge” um sucesso de audiência de autoria de Glória Peres.

No folclore não poderíamos deixar de falar da cavalhada, que ocorrem em várias partes do país, onde nesta homenagem a São Jorge eles encenam o duelo do bem contra o mau, por este motivo, metade dos cavaleiros representam o mau com a cor vermelha e a outra metade a cor azul representando o bem ou seja nosso valente guerreiro.

As artes sempre estiveram presentes no cotidiano como canais de conexão e expressão entre o mundo interno pessoal e o mundo externo natural e coletivo. Marcas que deixaram e poderão deixar ao longo da história diversas culturas.

5º Setor: DEVOÇÃO

O dia de São Jorge é comemorado em 23 de abril. No sul do Brasil, o sincretismo com Ogum colabora bastante com a popularidade do santo.

Essa composição sincrética formada a partir de São Jorge-Ogum tornou-os nos mais populares ídolos religiosos no Rio de Janeiro, a ponto de se tornarem os patronos da maior parte dos times de futebol e das escolas de samba da cidade. O culto a São Jorge é maior que o culto a São Sebastião – santo padroeiro da cidade – ou a Nossa Senhora.

Na devoção de cada religião é marcada pela esperança de uma nova era para o mundo dos homens com igualdade. É o poder da fé que move montanhas, é a peregrinação dos caminhos da fé. Desde o desconhecido á celebridades da mídia. De um Brasil que se vive em harmonia, onde São Jorge convive com o povo brasileiro no seu dia a dia, e, que ele nos abençoe em todas as manifestações religiosas e festas da cultura do povo brasileiro. A ACADÊMICOS DO TATUAPÉ com poder, fé e devoção erguida ao longo de nossa história, pede passagem para contar em “canto e oração” a ação sociocultural de um santo nesse encontro mágico e poético chamado Carnaval.”

Lido 749 vezes

Área Restrita

Apoio

© 2016 SPcarnaval.com.br- spcarnaval@spcarnaval.com.br - Todos os Direitos Reservados